Imagem de duas pessoas trabalhando em uma mesa de escritório e analisando relatórios quantitativos.

Razão TISS

Um dos mais importantes controles do processo de envio de dados TISS à ANS é o indicador Razão de Completude do Envio dos Dados do Padrão TISS, abreviado como Razão TISS. Esse indicador é utilizado para estabelecer uma base de eventos e operadoras para utilização no D-TISS e tem o propósito de indicar o quanto o volume de dados de atenção à saúde da operadora, incorporado ao banco de dados da ANS, se aproxima do movimento de atenção à saúde prestada a seus beneficiários registrado no Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde – DIOPS/ANS. 

Cálculo da Razão TISS

Para calcular a Razão TISS, é necessário realizar a seguinte operação: Razão TISS = A/B, onde:

  • A = Total do Valor Informado em reais dos eventos de atenção à saúde, que corresponde ao somatório do conteúdo do campo “Valor informado da guia” de cada guia enviada pela operadora e incorporada ao banco de dados da ANS no período selecionado
  • B = Total do valor em reais da despesa assistencial, que corresponde ao valor total dos Eventos/Sinistros Conhecidos ou Avisados de Assistência à Saúde informado no Documento de Informações Periódicas das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde – DIOPS/ANS, exceto as despesas com o Sistema Único de Saúde – SUS e Recuperações.

Na prática, quanto mais próximos os valores de A e B estiverem entre si, mais próxima de 1,00 (um) estará a razão entre eles. Logo, mais próximos da completude estarão os dados da operadora incorporados ao Banco de Dados da ANS.

Maior a pontuação, maior a qualidade dos dados?

Já sabemos que o indicador é calculado com base nos valores informados nas guias do Monitoramento TISS comparando com os valores enviados pelo DIOPS. Agora, vale ressaltar uma questão importante: pontuar em 100% no indicador Razão TISS é um excelente resultado, mas não garante a qualidade das informações assistenciais e de prestadores contidas nas guias.

Somente uma validação completa das informações das guias, incluindo os valores monetários, as especialidades médicas, os tipos de atendimento e as vinculações entre guias ajudará a aumentar a qualidade dos dados. Afinal, os dados devem ser o reflexo da gestão operacional e da atenção à saúde desempenhada pelas operadoras. Não consistir todos os dados das guias durante os processos de recepção dos lotes de guias para o faturamento das contas médicas e odontológicas, bem como as conferências posteriores, pode ser desastroso nos critérios de avaliação do Programa de Qualificação das Operadoras e também nas ferramentas de BI (Business Intelligence) utilizadas como apoio à decisões pelos dirigentes e gestores das operadoras.


Conte com a gente

Precisa de ajuda para validar e qualificar os dados da sua operadora? Conte com os serviços do Gestor IDSS. Nossos algoritmos validam a consistência de todas as informações em conformidade com o Padrão TISS, prevendo as críticas que a ANS implementa na recepção e processamento dos arquivos XML enviados. Além disso, estamos em aprimoramento contínuo e conseguimos manter um percentual alto de incorporação das guias que contenham os dados mínimos exigidos. Confrontamos, ainda, os valores informados nas guias com os valores enviados pelo DIOPS, que possibilita alinhamento entre valores e processos.